“Bilhete Antigo Combatente”

Ao abrigo do Estatuto do Antigo Combatente (Lei n.º 46/2020), foi criado o «Bilhete Antigo Combatente» que assegura a gratuitidade da entrada nos museus e monumentos nacionais para os Antigos Combatentes.

No dia 20 de agosto de 2020 foi aprovado o Estatuto do Antigo Combatente, através da Lei n.º 46/2020.

Conforme previsto no artigo 18.º do referido Estatuto é criado o “Bilhete Antigo Combatente”:

– O “Bilhete Antigo Combatente” é dirigido a todos os Antigos Combatentes*;

– Tem caráter gratuito;

– Em caso de falecimento do Antigo Combatente, o direito de gratuitidade reverte a favor da viúva ou viúvo;

– Até ao final do ano de 2020 será criado o Cartão do Antigo Combatente, produzido e entregue pela Imprensa Nacional – Casa da Moeda aos Antigos Combatentes;

– Até à criação do Cartão do Antigo Combatente, que permitirá a comprovação documental  junto das bilheteiras, será aceite a mera indicação verbal;

– O “Bilhete Antigo Combatente” entra em vigor com efeito imediato.

*São considerados antigos combatentes para efeitos do Estatuto:

a) Os ex-militares mobilizados, entre 1961 e 1975, para os territórios de Angola, Guiné-Bissau e Moçambique;

b) Os ex-militares que se encontravam em Goa, Damão, Diu, bem como em Dadra e Nagar-Aveli, aquando da integração destes territórios na União Indiana;

c) Os ex-militares que se encontravam no território de Timor-Leste entre o dia 25 de abril de 1974 e a saída das Forças Armadas portuguesas desse território;

d) Os ex-militares oriundos do recrutamento local que se encontrem abrangidos pelo disposto nas alíneas anteriores;

e) Os militares dos quadros permanentes abrangidos por qualquer uma das situações previstas nas alíneas a) a c).

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on skype
Skype
Notícias Recentes
Orçada em cerca de 28 mil euros, está em curso a empreitada de conservação e restauro de seis vitrais da Concatedral de Miranda do Douro, datados de meados do século XX. O prazo de execução é de 180 dias.
«Terra Queimada», um espetáculo multidisciplinar que nos alerta para os perigos de brincar com o fogo, será apresentado dias 25, 26 e 27 de setembro, em Aguiar do Sousa, Recarei e Lomba, nos concelhos de Paredes e Gondomar.
Siga-nos