Notícias
08 Nov. 2018 Exposição: 3.33.300 O Estado das Coisas O Cineclube do Porto e a Vício Design inauguram no sábado, dia 10 novembro, pelas 16h00, a Exposição que exibe os cartazes referentes à programação mensal desde novembro de 2015 até novembro deste ano numa viagem pelas muitas exibições feitas na Casa das Artes ao longo deste período.


"Em Dezembro de 2013, inicia-se o caminho do Clube Português de Cinematografia – Cineclube do Porto com a Direcção Regional de Cultura do Norte na Casa das Artes.
Mas foi em Janeiro de 2015 que o projecto CINEMA NA CASA DAS ARTES encontrou a linha programática que até hoje mantém.
A programação à volta de uma temática mensal revela-se um desafio exigente, que nos distingue de apenas mais um exibidor de cinema alternativo. Procuramos nas nossas escolhas abranger o maior painel cinematográfico possível contribuindo para a discussão de temáticas, com perspectivas algumas vezes óbvias outras subentendidas.
 Ao colocar lado a lado filmes mais recentes com outros, mais antigos e desconhecidos, pretendemos enriquecer um debate consciente, despretensioso e aprofundado sobre o que abordam os filmes e de quantas perspectivas os podemos ver e pensar. 
Esta exposição, comemora a nossa parceria com a Vício DESIGN, parceria que vigora desde novembro de 2015, e que completa a nossa programação com a execução dos cartazes e folhas de sala, dando-lhe coesão para que este projecto seja, como pretendemos, um reflexo de ideias e pensamentos".
Cineclube do Porto

"Procurar o frame ideal em cerca de sete ou oito filmes, que defina um tema e crie o ambiente de ironia, humor ou solidão para o que iremos ver no mês seguinte. Como o fotógrafo Thomas, também esta a busca amplia pormenores, fragmentos abstractos, nem sempre óbvios para quem vê o filme e que funcionam como o enquadramento ideal para o cartaz. Noutros casos é já uma fotografia iconográfica que eleva o desafio do designer, confrontado com a colocação da restante informação no mesmo plano dessa imagem.  
Este projecto vive de total liberdade criativa, sendo um campo de experimentação ao nível cromático e de tipografia, que se desdobrará nas folhas-de-sala do mês, como um "plano sequência" para quem vê todos os filmes. Queríamos que os cartazes mudassem todos os meses dentro de uma estrutura base, apenas com a presença do símbolo criado para estas sessões regulares como personagem recorrente.
Em programas extra, complementares às 33 sessões regulares, fizemos um corte total com essa imagem, com recurso a ilustração, fotografia ou técnicas mistas, por forma a funcionar como um intervalo onde repousa o olhar do espetador.  
Á semelhança do filme dentro de outro filme de Wenders, propõe-se nesta mostra uma avaliação do trabalho gráfico desenvolvido pela Vício Design, que por sua vez analisa o temática dos filmes programados pelo Cineclube o os comunica à sua maneira.
É o registo de um momento, onde expomos o nosso trabalho gráfico como um actor secundário no longuíssimo filme de 73 anos do Cineclube do Porto".
José Vaz, Vício Design