Notícias
25 Out. 2019 DRCN presente no Seminário Internacional Patrimônio + Turismo 2019 A Direção Regional de Cultura do Norte está presente no Seminário Internacional Patrimônio + Turismo 2019, através do seu Diretor Regional, António Ponte. Evento
António Ponte, Diretor Regional de Cultura do Norte, proferiu, hoje, a comunicação «Conhecer para valorizar: o papel dos centros interpretativos na salvaguarda e comunicação do patrimônio cultural», no Seminário Internacional Patrimônio + Turismo 2019.

Organizados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e pela Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio (OCBPM) estão a decorrer, em Porto Alegre, o Seminário Internacional sobre Potencial Econômico do Patrimônio em sua Dimensão Turística e o 6º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas, Turísticas e Patrimônio Mundial. 

Especialistas do Brasil e de outros países, entre os quais Portugal, debatem arquitetura, religião, artes, tradições e bens históricos enquanto componentes do turismo cultural que contribuem para a sustentabilidade económica e social. 

O Seminário e o Encontro decorrem na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.​

Em 2019, o Seminário e o Encontro também estão inseridos na iniciativa do governo federal Patrimônio + Turismo, cujo objetivo é aliar turismo, cultura e desenvolvimento socioeconômico. Desde o início do ano, o governo federal vem realizando ações no intuito de ampliar noções sobre o turismo no Brasil, dentre as quais a Política Nacional de Gestão Turística dos Sítios Patrimônio Mundial, que cria diretrizes para o turismo sustentável nos 22 sítios brasileiros reconhecidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), como o Parque Nacional do Iguaçu (PR) e as Ruínas de São Miguel das Missões (RS).

Os debates refletem o contexto das transformações em curso em âmbito internacional como aqueles que vêm se produzindo, por exemplo, em Portugal, Espanha, México, Colômbia e outros países latinoamericanos. Já no caso brasileiro, Tradições Doceiras da Região de Pelotas e Antiga Pelotas (RS), bem registado no Livro de Saberes como Patrimônio Cultural do Brasil, passam a ser um dos objetivos do turista cultural, que busca aprender e descobrir manifestações, culturas alimentares, música e memórias. E nesse campo reside a ponte entre Patrimônio Cultural e desenvolvimento – base de cadeias turísticas a mobilizar comunidades, instituições públicas, organizações do terceiro setor e empresas.