Notícias
01 Fev. 2019 Biblioteca do Museu de Lamego assinala 500 anos da circum-navegação No ano em que se assinalam os 500 anos da circum-navegação, o Museu de Lamego propõe uma viagem por uma seleção de livros da sua biblioteca que evocam o imaginário das viagens.


No ano em que se assinalam os 500 anos da circum-navegação, o Museu de Lamego propõe uma viagem por uma seleção de livros da sua biblioteca que evocam o imaginário das viagens. Em janeiro, destaque para a segunda edição da biografia de Fernão de Magalhães, da autoria de Stefan Zweig, publicada em 1939 pela Livraria Civilização.

Stefan Zweig, escritor austríaco, de ascendência judaica, evidenciou-se no romance, ensaio, novela, biografia, poesia, gozando as suas obras de grande popularidade a nível mundial, como comprovam as traduções em diversas línguas e as adaptações ao cinema.

Na obra selecionada no mês de janeiro, o autor começa por apresentar a conjuntura em que se vai desenvolver a viagem da circum-navegação, recorrendo a uma escrita absorvente e atrativa, imprimindo ao mesmo tempo uma elevada carga psicológica que aproxima o texto do romance o que acaba por conferir uma maior vivacidade e realismo na apresentação dos factos.

Descreve ainda as várias vicissitudes que Fernão de Magalhães teve de enfrentar, desde a recusa do D. Manuel em apoiar o seu projeto, às dificuldades na preparação da armada, até aos problemas ocorridos durante a viagem.

No dia 20 de setembro de 1519, o navegador português Fernão de Magalhães, ao serviço do rei de Castela, D. Carlos V, foi o comandante de uma frota de cinco navios que se propôs realizar a primeira viagem de circum-navegação do globo terrestre, contribuindo para um novo conhecimento do mundo e dos oceanos.

Dos 12 livros a destacar no site oficial do museu – www.museudelamego.gov.pt - ao longo de 2019 sobre a temática das viagens e que integram o espólio da biblioteca do Museu de Lamego, a biografia de Fernão de Magalhães, de Stefan Zweig, é um primeiro convite para uma volta ao mundo, em "12 meses 12 livros”.